• Tipo:
  • Gênero:
  • Categoria:

POLOTV.EDU: filme de Eryk Rocha inaugura espaço de formação do Polo

Desde seu lançamento, em abril passado, a plataforma poloaudiovisual.tv  atua como um canal de difusão e compartilhamento gratuito de filmes, espetáculos de música e dança, além da realização de debates temáticos com conceituados profissionais do audiovisual em Minas Gerais.

Nesse momento, iniciamos uma nova experiência com a abertura do PoloTV.EDU, um ambiente virtual que busca contribuir com a formação de estudantes de cinema, audiovisual e comunicação, bem como, ampliar a qualificação profissional de quem já atua nas diversas áreas do setor audiovisual.

Abrimos esse novo espaço com exibição do documentário “CAMPO DE JOGO”, dirigido e roteirizado por Eryk Rocha, com produção de Samantha Capdeville e patrocínio do grupo Energisa. O filme fez uma importante carreira nacional e internacional: estreou na Première Brasil do Festival do Rio (2014), fez sua estreia internacional no London Film Festival, foi selecionado em importantes festivais no Brasil, Inglaterra, França, Canadá, EUA e Dinamarca, entre outros. Rodado no bairro Sampaio, no Rio de Janeiro, e em Cataguases, em 2012. 

Rodado em 2014, o longa narra em uma linguagem original e poética a final do campeonato de favelas em um campo de várzea no Rio de Janeiro, situado bem próximo ao mítico Maracanã. O filme gerou uma série homônima, que foi exibida no Canal Brasil. A produção é da Aruac Filmes (RJ), Fillmegrafh (MG) e Mutuca Filmes (MG).

“Na realização de “Campo de Jogo” reuni as três grandes paixões da minha vida: o cinema, o futebol e a brasilidade. Mas o futebol que me interessa não é o de mercado, e sim aquele jogado nas periferias, em campos de várzea, onde o futebol brasileiro ganhou forma, tornando-se uma expressão genuína de nossa cultura. Busquei imprimir no DNA desse filme uma crítica a um certo modelo de capitalismo predatório, revelada em eventos como Copa do Mundo. A gente queria mostrar outra dimensão do jogo, ligada ao que se passa no Brasil profundo, aos povos negros, aos lugares da contradição, dos embates, mas também da celebração e do afeto” comenta Eryk Rocha.

Diretor e roteirista, Eryk estudou cinema na Escola San Antonio de Los Baños, em Cuba, onde realizou seu primeiro longa “Rocha que Voa” (2002), vencedor do Festival Internacional “É Tudo Verdade”. Com seu primeiro longa de ficção, “Transeunte”, conquistou 25 prêmios em festivais nacionais e internacionais. Outros destaques entre suas realizações: “Quimera”, exibido nos festivais de Cannes e Sundance; “Jards”, sobre o músico Jards Macalé; “Cinema Novo”, um documentário sobre o movimento cinematográfico que colocou o Brasil no mapa do cinema mundial.

Samantha Capdeville é jornalista, especializada em Cinema Documentário, produtora audiovisual e professora de História do Cinema Brasileiro na Pós Graduação na UFC – Universidade Federal do Ceará.  Samantha tem relação com o Polo Audiovisual da Zona da Mata desde seu iníciom, em 2010, tendo participado como produtora de “Meu Pé de Laranja Lima”, de Marcos Bernstein, primeiro longa-metragem a ser realizado no âmbito do Polo. Ela atuou como produtora executiva nos filmes “O Palhaço”, de Selton Melo, “O Candidato Honesto”, de Roberto Santucci, entre vários outros.

Para Samantha, produzir “Campo de Jogo” foi um marco em sua carreira: “Essa foi a primeira produção que assinei como co-produtora. Foi um desafio muito grande, tive de aprender fazendo, mas foi também um enorme aprendizado. Cada filme exige um modelo diferente, cronograma e orçamentos diferentes, então cada filme é um novo aprendizado. A experiência ajuda na tomada de decisões mais rápidas”.

O bate-papo com Eryk Rocha e Samantha Capdevillle aconteceu na noite de 16 de julho, com a participação de André Stang, filósofo e educador digital, Marcos Pimentel, documentarista e diretor de formação do Polo Audiovisual, Cesar Piva, diretor presidente do Polo. A mediação ficou a cargo de Pedro Varoni, jornalista, professor e pesquisador especializado em Linguística. Estudantes do Curso de Cinema da UFC também participaram do debate.

AÇÕES DE FORMAÇÃO NO POLO AUDIOVISUAL

O PoloTV.EDU é mais uma iniciativa de formação promovida pelo Polo Audiovisual em parceria com o projeto Estúdio Escola Fábrica do Futuro. Desde 2008, são realizadas residências criativas, projetos, festivais, eventos, editais e fóruns voltados para a qualificação profissional de jovens e adultos residentes em cidades e distritos da Região.

Em 2020, devido ao isolamento social necessário para contenção do Covid-19, projetos, eventos e residências criativas foram adaptados para enfrentar essa nova realidade. Nesse contexto, as ações de formação realizadas no âmbito do Polo Audiovisual ganharam maior relevância e encontraram na plataforma poloaudiovisual.TV o espaço ideal para desenvolvimento de novas experiências de qualificação profissional.

Veja abaixo alguns dos projetos realizados na região: O projeto ESTÚDIO ESCOLA FÁBRICA DO FUTURO realiza a Residência Criativa Transmídia – RETRILHA,  que mobiliza estudantes, professores e especialistas em diversas áreas, envolvendo instituições do ensino superior na região. A partir de dinâmicas para a expansão do olhar sobre a cidade, o projeto promove oficinas de co-criação e co-produção de micro-narrativas em múltiplos formatos e plataformas.

O projeto Escola Animada – Rede Cineclube, iniciado em 2013, é uma ação de Cultura Educação que experimenta a aplicação do Audiovisual para uma formação criativa e transformadora de crianças e jovens, em especial, de escolas públicas da Zona da Mata de Minas Gerais. A partir de 2017, o projeto formou a REDE CINECLUBE com a instalação e funcionamento de 22 salas de exibição em escolas públicas e centros culturais da de 12 cidades da região.

Festival Ver e Fazer Filmes, com sete edições desde 2008, é uma ação de difusão da recente produção audiovisual nacional e, em especial, dos filmes produzidos no âmbito do Polo, por meio de mostras de filmes dirigidas ao público infantil, jovem e adulto. Na etapa ‘Fazer’, desataca-se o evento de exibição e premiação dos filmes realizados por meio de edital regional. Cada edição mobiliza cerca de 800 estudantes e 100 professores do Ensino Fundamental e Médio de Escolas da Rede Pública de Cataguases e região.

Previous Post

MOSTRA ELZA CATALDO

Scroll to top